quarta-feira, 18 de abril de 2012

Cultura Brasileira: da diversidade à desigualdade

Mesmo admitindo a existência de diversos estudos e discussões antropológicas sobre o conceito de cultura, podemos considerá-la, grosso modo, da seguinte forma: a cultura diz respeito a um conjunto de hábitos, comportamentos, valores morais, crenças e símbolos, dentre outros aspectos mais gerais, como forma de organização social, política e econômica que caracterizam uma sociedade. Além disso, os processos históricos são em grande parte responsáveis pelas diferenças culturais, embora não sejam os únicos fatores a se considerar. Isso nos permite afirmar que não existem culturas superiores ou inferiores, mas sim diferentes, com processos históricos também diversos, os quais proporcionaram organizações sociais com determinadas peculiaridades. Dessa forma, podemos pensar na seguinte questão: o que caracteriza a cultura brasileira? Certamente, ela possui suas particularidades quando comparada ao restante do mundo, principalmente quando nos debruçamos sobre um passado marcado pela miscigenação racial entre índios, europeus e africanos.


A cultura brasileira em sua essência seria composta por uma diversidade cultural, fruto dessa aproximação que se desenvolveu desde os tempos de colonização, a qual, como sabemos, não foi, necessariamente, um processo amistoso entre colonizadores e colonizados, entre brancos e índios, entre brancos e negros. Se é verdade que portugueses, indígenas e africanos estiveram em permanente contato, também é fato que essa aproximação foi marcada pela exploração e pela violência impostas a índios e negros pelos europeus colonizadores, os quais a seu modo tentavam impor seus valores, sua religião e seus interesses. Porém, ao retomarmos a ideia de cultura, adotada no início do texto, podemos afirmar que, apesar desse contato hostil num primeiro momento entre as etnias, o processo de mestiçagem contribuiu para a diversidade da cultura brasileira no que diz respeito aos costumes, práticas, valores, entre outros aspectos que poderiam compor o que alguns autores chamam de caráter nacional.

A culinária africana misturou-se à indígena e à europeia; os valores do catolicismo europeu fundiram-se às religiões e aos símbolos africanos, configurando o chamado sincretismo religioso; as linguagens e vocabulários afros e indígenas somaram-se ao idioma oficial da coroa portuguesa, ampliando as formas possíveis para denominarmos as coisas do dia a dia; o gosto pela dança, assim como um forte erotismo e apelo sexual juntaram-se ao pudor de um conservadorismo europeu. Assim, do vatapá ao chimarrão, do frevo à moda de viola caipira, da forte religiosidade ao carnaval e ao samba, tudo isso, a seu modo, compõe aquilo que conhecemos como cultura brasileira. Ela seria resultado de um Brasil-cadinho (aqui se fazendo referência àquele recipiente, geralmente de porcelana, utilizado em laboratório para fundir substâncias) no qual as características das três “raças” teriam se fundido e criado algo novo: o brasileiro. Além disso, do ponto de vista moral e comportamental, acredita-se que o brasileiro consiga reunir, ao mesmo tempo, características contraditórias: se por um lado haveria um tipo de homem simples acostumado a lutar por sua sobrevivência contra as hostilidades da vida (como a pobreza), valorizando o mérito das conquistas pessoais pelo trabalho duro, por outro lado este mesmo homem seria conhecido pelo seu “jeitinho brasileiro”, o qual encurta distâncias, aproxima diferenças, reúne o público e o privado.

Ainda hoje há quem possa acreditar que nossa mistura étnica tenha promovido uma democracia racial ao longo dos séculos, com maior liberdade, respeito e harmonia entre as pessoas de origens, etnias e cores diferentes. Contudo, essa visão pode esconder algumas armadilhas. Nas ciências sociais brasileiras não são poucos os autores que já apontaram a questão da falsidade dessa democracia racial, apontando para a existência de um racismo velado, implícito, muitas vezes, nas relações sociais. Dessa forma, o discurso da diversidade (em todos os seus aspectos, como em relação à cultura), do convívio harmônico e da tolerância entre brancos e negros, pobres e ricos, acaba por encobrir ou sufocar a realidade da desigualdade, tanto do ponto de vista racial como de classe social. Ainda hoje, mesmo com leis claras contra atos racistas, é possível afirmarmos a existência do preconceito de raça na sociedade brasileira, no transporte coletivo, na escola, até no ambiente de trabalho. Isso não significa que vivamos numa sociedade racista e preconceituosa em sua essência, mas sim que esta carrega ainda muito de um juízo de valor dos tempos do Brasil colonial, de forte preconceito e discriminação. Além disso, se a diversidade cultural não apagou os preconceitos raciais, também não diminuiu outro ainda muito presente, dado pela situação econômica-social do indivíduo.

É preciso considerar que a escravidão trouxe consequências gravíssimas de ordem econômica para a formação da sociedade brasileira, uma vez que os negros (pobres e marginalizados em sua maioria) até hoje não possuem as mesmas oportunidades, criando-se uma enorme distância entre as estratificações sociais. Como sugere o antropólogo Darcy Ribeiro, mais do que preconceitos de raça ou de cor, têm os brasileiros um forte preconceito de classe social.

Dessa forma, o Brasil da diversidade é, ao mesmo tempo, o país da desigualdade. Por isso tudo é importante que, ao iniciarmos uma leitura sobre a cultura brasileira, possamos ter um senso crítico mais aguçado, tentando compreender o processo histórico da formação social do Brasil e seus desdobramentos no presente para além das versões oficiais da história.

Paulo Silvino Ribeiro
Colaborador Brasil Escola
Bacharel em Ciências Sociais pela UNICAMP - Universidade Estadual de Campinas
Mestre em Sociologia pela UNESP - Universidade Estadual Paulista "Júlio de Mesquita Filho"
Doutorando em Sociologia pela UNICAMP - Universidade Estadual de Campinas

A fantasia das três raças brasileiras
Na atualidade não existe nenhuma sociedade ou grupo social que não possua a mistura de etnias diferentes. Há exceções como pouquíssimos grupos indígenas que ainda vivem isolados na América Latina ou em algum outro lugar do planeta.

De modo geral, as sociedades contemporâneas são o resultado de um longo processo de miscigenação de suas populações, cuja intensidade variou ao longo do tempo e do espaço. O conceito “miscigenação” pode ser definido como o processo resultante da mistura a partir de casamentos ou coabitação de um homem e uma mulher de etnias diferentes.

A miscigenação ocorre na união entre brancos e negros, brancos e amarelos e entre amarelos e negros. O senso comum divide a espécie humana entre brancos, negros e amarelos, que, popularmente, são tidos como "raças" a partir de um traço peculiar – a cor da pele. Todavia, brancos, negros e amarelos não constituem raças no sentido biológico, mas grupos humanos de significado sociológico.

No Brasil, há o “Mito das três raças”, desenvolvido tanto pelo antropólogo Darcy Ribeiro como pelo senso comum, em que a cultura e a sociedade brasileiras foram constituídas a partir das influências culturais das “três raças”: europeia, africana e indígena.

Contudo, esse mito não é compartilhado por diversos críticos, pois minimiza a dominação violenta provocada pela colonização portuguesa sobre os povos indígenas e africanos, colocando a situação de colonização como um equilíbrio de forças entre os três povos, o que de fato não houve. Estudos antropológicos utilizaram, entre os séculos XVII e XX, o termo “raça” para designar as várias classificações de grupos humanos; mas desde que surgiram os primeiros métodos genéticos para estudar biologicamente as populações humanas, o termo raça caiu em desuso.

Enfim, "o mito das três raças" é criticado por ser considerado uma visão simplista e biologizante do processo colonizador brasileiro.

Orson Camargo
Colaborador Brasil Escola
Graduado em Sociologia e Política pela Escola de Sociologia e Política de São Paulo – FESPSP
Mestre em Sociologia pela Universidade Estadual de Campinas - UNICAM
P

74 comentários:

  1. Analisando o presente texto como podemos pensar a questão da miscigenação no Brasil? Você concorda com a teoria da democracia racial sugerida por Gilberto Freire? Onde podemos pensar as desigualdades sociais em meio a esse debate?

    ResponderExcluir
  2. As diferentes raças não se difundiram por completo no Brasil e nem nunca se difundirão em qualquer outro lugar do mundo. É fato que a cultura brasileira de um modo geral, carrega em si um pouquinho das tradições de cada uma das três raças, contudo, os índios não aceitam as religiões dos brancos, negros não comem as comidas típicas dos amarelos, os brancos mais religiosos não aceitam a nudez dos índios; mostrando assim de forma clara o ponto onde quero chegar, de que uma cultura não é capaz de se difundir com outra, pois os seus pontos de vista jamais serão compatíveis, fazendo com que toda cultura se veja superior a outra, fato este que gera todos os preconceitos, discriminações, e por consequência as desigualdades socias, que ao meu ver serão eternamente irreparáveis.

    Kelly Leal, nº21

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Kelly, minha querida, seu texto parece contradizer os autores da sociologia e a própria noção de miscigenação que tratamos em sala. As diferentes culturas que formaram nosso pais se misturaram pra criar algo novo, a cultura brasileira. Claro que os brancos europeus, que eram dominantes acabaram impondo a maioria dos pensamentos "aceitáveis" socialmente, mas a participação dos negros e indígenas foi crucial, será que as culturas não se difundem mesmo?
      Por exemplo uma procissão religiosa católica no brasil possui as mesmas características que em Portugal? Por que são diferentes? sera influencias dessas outras culturas?

      Excluir
    2. Sim, Ton. A minha visão é realmente contrária à dos autores da sociologia, o que não significa que não entendo a deles. Ocorre, que na minha concepção, não há de fato uma miscigenação no Brasil, o que acontece é apenas uma adaptação das culturas já existentes anteriormente, onde cada uma delas, umas mais e outras menos, foi mudada em alguns aspectos acrescentando pequenos traços de outras. Porque se ocorresse de fato a miscigenação, tenho certeza de que não haveria tanto preconceito e discriminação de cores e costumes diferentes neste país, pois segundo os autores da sociologia, a cultura brasileira é a união das três raças, mas se elas tivessem mesmo se difundido as pessoas aceitariam umas as outras.

      Excluir
  3. O Brasil ate chegar na sua "cultura oficial" sofreu muitas influencias(portugueses, indios, africanos, europeus), e hoje a cultura brasileira é influencia para outros paises. Foi a partir da colonização que o Brasil comecou a descobrir sua identidade(cultura). Hoje vivemos em um mundo completamente diversificado, com denominacoes culturais totalmente diferente uma das outras, não podemos dizer que todas elas são respeitadas, claro vivemos em um mundo racista! Nenhuma cultura pode ser comparada a outra, pois cada uma tem o seu jeito a sua maneira, por exemplo: para os indios adorar varios deuses eram sua tradicao mas ja para os seus senhores isso nao podia acontecer. O meu limite termina aonde o seu limite começa(como diz o professor daniel, por isso o meu ponto de vista tem que ser respeitado do mesmo jeito que o seu é.
    Se fomos parar para analisar um ponto se liga ao outro: sem respeito cultural=preconceitos=conflitos=desilgualdades.. e assim vai.

    Maria Izabela.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Muito bom sua postagem Maria, só peço pra você que façamos juntos duas reflexões. Quando você diz: "claro vivemos em um mundo racista! Nenhuma cultura pode ser comparada a outra, pois cada uma tem o seu jeito a sua maneira, por exemplo: para os indios adorar varios deuses eram sua tradicao mas ja para os seus senhores isso nao podia acontecer. O meu limite termina aonde o seu limite começa". Você está estritamente certa na afirmação das diferenças culturais e da necessidade de ambos os diferentes pensamentos serem respeitados, porém Maria, não podemos naturalizar o racismo, a partir do momento que respeitamos a visão de mundo do outro já não existe mais racismo, não precisamos compartilhar de um pensamento para não sermos racistas, basta apenas respeita-lo e não diminui-lo. Os "senhores" do qual vc falou, mataram e escravizaram os indígenas pela suas crenças religiosas, promovendo assim algo desigual. Nossos "limites" não pode ser a imposição e sim a tentativa de respeito mutuo. Concorda comigo?

      Excluir
    2. Em certa parte até concordo com você, mas acontece que a sua visão de mundo tem alguns conflitos com a minha, prova disso é a sua visão socialista que é algo contraditório ao meu,capitalista... NÃO PODEMOS NATURALIZAR O RACISMO? Não mesmo, pois ele já esta naturalizado, prova disso são as cotas para negros e índios (o que é um racismo)...Eles mesmos(negros e índios) lutaram pela igualdade, então porque não lutam para a retirada das cotas(o que é uma desigualdade) os tais se inferiorizam o tal ponto de aceitar e ate mesmo cometer racismo para si.Concorda comigo?

      a Maria escreveu o comentario e pediu para que eu postasse pois ela esta sem internete Tom.

      Excluir
  4. A miscigenação uniu três culturas bastantes distintas umas das outras: a cultura europeia, a africana e a indígena, sem contar com as de outros povos, e assim surgiu a cultura brasileira. Os preconceitos em relação à cor, status social ou qualquer outro motivo vão continuar existindo, não importa o que se faça. Se a teoria de Gilberto Freyre se aplicasse ao Brasil, as pessoas viveriam bem divididas e não haveria interação cultural, assim como nos Estados Unidos: cada um com seu grupo étnico (brancos com brancos, negros com negros, índios com índios, amarelos com amarelos, etc.), não haveria misturas e o preconceito seria livremente exposto, já que a convivência não seria algo normal.
    Mas o pior é que cada vez mais as desigualdades vão aumentando, e não há uma única sociedade onde todas as pessoas tenham os mesmo direitos, deveres e liberdade.

    Emily Watanabe -> nº 08

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá Emily, temos duas coisas a pensar no seu comentário. Primeiro quando vc afirma "Os preconceitos em relação à cor, status social ou qualquer outro motivo vão continuar existindo, não importa o que se faça.", Sera mesmo que isso é um movimento eteno? os homens nunca serão capazes de mudar as suas concepções de mundo? Acredito que muitas pessoas no Sec XVIII afirmavam que o negro nunca se tornaria livre e ele se tornou.
      Outra coisa que peço a você é entendimento sobre a democracia racial, sua definição não foi precisa. Pesquise o que é essa democracia racial e poste aqui, se vc ler e não entender me diga que eu explico pra você, tá bom?

      Excluir
    2. O negro conseguiu se libertar, concordo, mas o preconceito contra ele ainda existe, ainda é bastante forte, assim como o preconceito contra outros povos, e vai continuar existindo sim.

      O que acontece, é que o preconceito (tô falando preconceito demais) passa por transformações, por exemplo: antes, os negros eram considerados escravos porque a Igreja dizia que eles não “tinham alma”, eles só conseguiram sua liberdade porque descobriram que eles “têm alma”; hoje, eles ainda sofrem discriminações por causa de sua cor, por causa do pensamento “todo negro é pobre e ladrão”; há a imposição de cotas para negros nas universidades, mas eles não são iguais aos brancos? Não tem a mesma educação e os mesmos direitos?

      Isso já é do ser humano. As pessoas podem tentar melhorar, tentar mudar seus jeitos e seus modos de pensar, mas ainda vai existir uma parte que tem preconceito, seja contra brancos, negros, índios, amarelos ou qualquer outra “raça”.

      E mais uma coisa, muitas pessoas não dizem publicamente que têm preconceito por causa do medo de serem acusados e presos por racismo.

      Sobre a democracia racial, essa definição é correta?

      “Democracia Racial é um termo usado por alguns para descrever as relações raciais no Brasil. O termo denota a crença de que o Brasil escapou do racismo e da discriminação racial vista em outros países, mais especificamente, como nos Estados Unidos. Pesquisadores notam que a maioria dos brasileiros não se veem pelas lentes da discriminação racial, e não prejudicam ou promovem pessoas baseadas na raça. Graças a isso, enquanto a mobilidade social dos brasileiros pode ser reduzida por vários fatores, como sexo e classe social, a discriminação racial seria considerada irrelevante.”

      Se estiver certa, concordo com a teoria de Gilberto Freyre. O que eu pude entender é que ele acreditava que nossa sociedade não se igualaria a dos Estados Unidos, que era seu alvo de estudo, onde as pessoas eram divididas de acordo com sua raça. Ele acreditava que o Brasil tinha uma visão política diferente da dos outros países, por ter passado pela miscigenação; ele pôde ver que nossa sociedade não impôs uma separação por causa da cor da pele, mas sabia que nosso país não se tornaria uma sociedade livre de desigualdades, mesmo depois da abolição da escravidão em 1888.

      Se eu ainda não consegui explicar a democracia racial Ton, eu vou querer que você me explique.

      Excluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  6. O Brasil apresenta uma miscigenação muito diversificada, quando os Portugueses colonizaram o Brasil havia aqui um tipo de cultura, um modo de vida que era dos Índios no entanto eles foram obrigados a mudar essa concepção de viver de acordo com os Portugueses, Europeus e Negros...cada tipo de "raça" se difundia no Brasil, ou seja, cada um queria impor seu modo de vida,religião e outras coisas... Acredito que essa diferenciação de "raças" como cita o texto "As três raças" gerou alguns certos conflitos no País, para se pararmos para analisar vários países,lugares, também sofreram essa mudança... que no entanto tem seu lado positivo que é o que temos hoje: A cultura brasileira...sendo assim deve partir de cada cidadão respeitar cada raça assim como os negros, os brancos, os indios, amarelos, seria uma solução para acabar com o racismo,discriminação,violência e todos problemas que a diferente cultura causa, mas se pensar racionalmente e entendermos cada "raÇA" vamos ver que isso é importante para o mundo, o país existir.Eu concordo com a democracia racional de Gilberto Freire pois reclamos da nossa cultura, mas antes de falar deveriamos analisar outras culturas em outras partes do mundo, que são bem piores e ver como realmente é, o que devemos fazer é criar vergonha na cara e agir racionalmente perante isso, porque sabemos que em todos lugares,claro há desigualdades mas acredito que se estudar,e pensarmos sobre isso podemos melhorar e aceitar cada tipo de cultura no seu devido lugar.

    Mariane Torquato nº:28

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Discurso inflamado em Torquato?rsrs.....Boa

      Excluir
  7. O que compõe o corpo brasileiro é a cultura que foi se criando desde o descobrimento, mas sempre houve a diferenciação e conflitos entre raças, pois as opiniões entre as pessoas são muito diferentes, como a Maria disse sobre os índios terem sua própria "cultura" e os brancos não aceitarem isso. Eu acho que o racismo e o preconceito sempre estarão presentes independente do lugar e acho o Brasil um país muito dividido nesta questão, pois algumas pessoas não vão mudar sua opinião sobre as outras, assim como também não vão aceitar as opiniões alheias. Claro que agora a questão do preconceito diminuiu, por causa da miscigenação, mas ele vai continuar existindo e só vai acabar quando as pessoas conseguirem se aceitar na sociedade.

    Juliana Valente n°:20

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. então você não concorda com a teoria da democracia racial?

      Excluir
    2. Não, pois eu acho que o preconceito vai continuar de gerações em gerações, algumas pessoas serão mais preconceituosas que as outras. Todos são contra o preconceito, mas ao mesmo tempo todos sofrem preconceitos e também o fazem.

      Excluir
  8. Bom, a cultura brasileira é vasta, mas até se tornar o que é hoje, passou por várias etapas de adaptação. Como o texto cita, desde o inicio da colonização somos obrigados a conviver com outras culturas, outros costumes, o que causa certo choque cultural, entre as populações. Porém apesar de desde sempre sermos acostumados a viver com isso quando acontece conosco, julgamos isso estranho e temos nossos preconceitos, nossos receios. Pelo que eu entendi, a miscigenação seria a junção de duas ou mais etnias e culturas que influenciariam na formação da sociedade, porém quando os portugueses chegaram eles não queriam deixar espaço para que os outros povos difundissem sua cultura, queriam somente impor suas vontades por isso que desde sempre não existe igualdade social, pois desde o inicio nossa sociedade é ensinada a viver assim da forma em que um manda e outro simplesmente tem que obedece !

    GABRIELA PEREIRA Nº10

    ResponderExcluir
  9. A cultura brasileira é derivada de muitas outras culturas. O brasil nao possui uma cultura definida sozinha, ela foi se construindo aos poucos com os africanos e europeus.
    Eu concordo com Gilberto Freire porque em cada canto do nosso pais existe um pouco de cada etnia.
    O unico problema é que aqui enfrentamos muito preconceito e racismo. O proprio governo faz isso, dando cotas para indos sendo que eles tem a mesma capacidade que nós branco. O problema é que cada um pensa de uma maneira, como a Maria Izabela disse o meu limite é o seu limite, entao devemos respeitar o que cada um pensa mesmo sendo uma opniao ruim. Devemos combater esses preconceitos para melhorar o convivio das pessoas que habitam o pais.

    Tainara Jovellone Nº 22

    ResponderExcluir
  10. Primeiramente, afirmo que o Brasil é um país de contrastes. Devido à sua origem, à forma de colonização e também aos fatores históricos que o nosso país foi submetido ao decorrer dos séculos. É um país marcado por hábitos e costumes do europeu, do índio e do negro, logo, em um certo ponto na historia, quando tais culturas colidiram-se surgiu uma cultura com raízes nestas três outras culturas em questão: a cultura brasileira, contendo um pouquinho de cada uma das 3 raças.
    Sobre a teoria de Gilberto Freire, meu ponto de vista é um tanto estável. Por um lado creio que de fato, a democracia racial no Brasil é muito mais harmônica do que em países mais conservadores no sentido étnico, como os Estados Unidos. Pelo fato do Brasil ter a miscigenação na veia, o racismo e preconceitos em geral são em menor proporção comparado aos EUA ou aos próprios países europeus. Afinal, a sociabilizaçao entre diferentes é bem mais amena no Brasil.
    Quanto às desigualdades sociais, estas são sempre presentes ao meio, independente do sistema de governo, da moral e da ética de cada nação, visto que não é uum artifício desenvolvido inconscientemente. E a própria sociedade tem uma raiz explicativa em seus mecanismos do que resulta em desigualdade.

    ResponderExcluir
  11. O Brasil é um país formado por diferentes culturas, que só começou a se indentificar após a colonizaçao.Antes disso, ele tinha influencias de varias culturas diferentes, cada uma com suas crenças,custumes, com suas diferentes formas de viver. Por isso o Brasil surge quando ocorre a miscigenaçao, quando há a uniao de tres tipos de culturas diferentes( européia, africana e indigena)originando um só país, muito diversificado,vários tipos de raça,mas infelizmente nem todas sao aceitas, o que ainda faz ter o racismo, que é algo que torna a sociedade um lugar nem sempre bom de se viver, causando desunião, conflitos e gerando guerra.
    Carolina kiiller Nº07

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Só esqueceu de emitir sua opinião sobre a Democracia Racial.

      Excluir
  12. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  13. No Brasil, a história de seus conflitos e problemas envolveu bem mais do que a formação de classes sociais distintas por sua condição material. Nas origens da sociedade colonial, o nosso país ficou marcado pela questão do racismo e pela exclusão dos negros. Por exemplo, ultimamente, os sistemas de cotas e a criação de um ministério voltado para essa única questão demonstram o tamanho do nosso problema. Para mim, tanto essas discriminações, quanto essas desigualdades, nunca entrará em extinção pelo nosso povo. Pela classe 'superior' ser composta de, na maioria, pessoas brancas, e a 'inferior' por pessoas de cor, há discriminação, e todos nós estamos cansados de saber que não é assim que deve se julgar um indivíduo, pois, perante a lei, somos todos iguais.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Só esqueceu de emitir sua opinião sobre a Democracia Racial.

      Excluir
    2. Para a existência de uma sociedade justa e igualitária, teremos que construir uma nação que não exclua, que considere todos os membros sociais como elementos importantes. Reconhecendo sua contribuição no processo de crescimento social. Ser contra ou a favor das ações afirmativas como as cotas, limita a discurção, é importante pensar sobre o racismo e todas as conseqüências que surgiram com ele. Nesse sentido torno-me a favor das ações afirmativas. É preciso que o Brasil cresça em uma base realmente democrática e isto torna-se viável quando realizadas políticas públicas para a inclusão.

      Excluir
  14. Eu creio que a questão da democracia social descrita por Gilberto Freire pode até fazer sentido na teoria, mas acaba ficando um tanto quanto vaga em relação aos acontecimentos da colonização do país, onde sabemos que tanto a cultura indígena quanto a africana foram distorcidas violentamente pela força européia que os dominava. Não houve uma igualdade de forças, por isso não posso concordar com a teoria de Gilberto Freire. Com o decorrer do tempo, essa ferida na história foi cicatrizando-se, porém ainda não está completamente curada. Há resquícios de desigualdade por toda parte, apesar de hoje, na maioria dos casos, ser implícita nas relações sociais. Assim como eu também acredito que podem ocorrer mudanças, que as pessoas podem passar a enxergar o próximo com outros olhos, com respeito (independente de raça, classe social e etc) e não se fazerem de cegas diante do preconceito.

    Amanda Yanaze Nº02

    PRECISO DE 2,0 TON, ENTÃO LEIA COM CARINHO E PARE COM ESSAS OBSERVAÇÕES!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Amanda eu ia te elogiar pelo texto, mas não vou mais pelos seus últimos comentários.

      Excluir
    2. Ai Ton, era brincadeira hahahahaha quero saber se tá faltando mais alguma coisa..

      Excluir
  15. O Brasil é formado principalmente por influencia de três 'raças'.A cultura europeia foi imposta aos indigenas e aos africanos, que em alguns aspectos cederam, mais nao deixaram sumir por total suas culturas.Pode-se encontrar em algumas regiões um predomínio cultural das raças que formaram a cultura brasileira.Em relação a teoria de Gilberto Freire acredito que o Brasil não se encaixa totalmente, pois existe o preconceito,muito preconceito, mas é escondido, camuflado, não como sua teoria diz onde o preconceito é aparente, cada qual com suas culturas sem 'se misturar'.Os brasileiros tem enraizado o preconceito, mais é logico que nao se pode generalizar, provavelmente isto seja uma influencia dos europeus que se colocavam como os melhores de todo o mundo.
    Nathalia Vilela nº39

    ResponderExcluir
  16. cada nação é formada por diferentes culturas , e todos temos que cooperar ,respeitando a diferença de cada um, no caso do brasil ele possui uma diversidade muito grande pois alem de culturas como a indigena que ja habitavam o brasil, depois da colonização muitas outra culturas foram trazidas pra cá mas apesar disso todos deveríamos ser iguais perante a lei e ter direitos e deveres iguais mas isso não acontece como por exemplo se um índio comete um crime ele não é condenado mas se qualquer outra pessoa cometer o mesmo crime ela vai presa o que em minha opinião é totalmente errado pois podemos ter culturas , línguas , hábitos diferentes mas como um individuo da sociedade somos todos iguas.

    Gabriela Geha Cordeiro nº12

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mas Gabriela se as culturas dão interpretações diferentes sobre o certo e o errado como punir elas com uma lei unica?E esqueceu de emitir sua opinião sobre a Democracia Racial.

      Excluir
    2. a lei diz que os índios nao tem capacidade para discernir o certo do errado e eu acho que essas leis devem ser revistas e reformuladas

      Excluir
    3. o modo de pensar dos brasileiros está em constante mudança ,percebemos isso quando lembramos do passado quando o preconceito era enorme contra pessoas de raça diferente , não estou dizendo que não existe mais esse preconceito, mas ocorreu uma diminuição enorme , essas raças mantiveram alguns de seus hábitos , culturas ... mas de uma forma abrasileirada

      Excluir
  17. Bom Tom!pelo que eu entendi miscigenaçao uniu tres culturas bastantes diferentes umas das outras;eram portugueses,indigenase africanos como tambem brancos,negros,amarelo.A cultura brasileira no que diz respeito contribuiu para a diversidade com varios aspectos tais eles:costumes,pratica,valores e outros que poderiam compor e que alguns autores chamam de carater nacional.As linguagem e vocabularios afros e indigenas somaram-se oa idioma oficial da coroa portuguesa,no qual as caracteristicas das tres "raças" teriam fundido e criado algo novo;o brasileiro.Hoje em dia tem uma mistura etnicos tenha promovido uma democracia racial dos seculos mesmo com tantas propagamdas,etc existe pessoas racistas. JÉSSICA MAGALHAES N°18

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. é por ai Jessica, Só esqueceu de emitir sua opinião sobre a Democracia Racial.

      Excluir
    2. Ai Tom eu concordo com Gilberto Freyre porque a sociedade brasileira mostra algo o que ela nao é, pelo fato de aparenta ser uma sociedade sem preconceito, mas que o preconceito esta presente em meio a trabalho e mais especificamente as relaçoes entre as pessoas.

      Excluir
  18. Segundo Gilberto Freyre, em função do tipo de cristianismo prevalecente entre os portugueses, as raças no Brasil tenderam a se fundir em uma só comunidade emocional e religiosa. Essa opinião suscitou tanto aplausos entusiásticos quanto ferrenha oposição. Miscigenação, que permeio desde a chegada dos colonos na terra brasileira. Vindos sem mulheres brancas, os primeiros portugueses, possuidores de um forte ímpeto sexual,estabeleceram relações sexuais com as índias locais para satisfazer tal ímpeto. Com o desenvolvimento da atividade colonial, as índias foram substituídas pelas mulheres negras e mais tarde as mulatas incorporaram-se a tal harém lusitano. A essa constante miscigenação entre raças, ocorrida em virtude da falta de mulheres européias na colônia e à frenética sexualidade lusitana,a formação do povo brasileiro.
    Isabelly Suero N 17

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Isabelly me explica qual é o tipo de cristianismo prevalecente entre os portugueses e todo isso que vc colocou que eu te dou nota integral....

      Excluir
  19. O Brasil é visto em todo o mundo um país com uma cultura rica e bela. A qual nós brasileiros devemos agradecer a nossa mistura de etnias, a miscigenação é o ponto principal em nossa base de sociedade e cultura, essa mescla de diferentes raças não nos traz só um aspecto físico distinto, mas uma forma de pensamento racional que deveria ser enovadora. Até um determinado tempo de nossa colonização a forma de pensar que reinava era a dos europeus (nobres, burgueses e concerteza brancos católicos.

    Concordo com Gilberto Freire em sua teoria da democracia racial, mesmo com o Brasil transmitindo a imagem de que somos um país, em que todos são felizes com nossas diferenças, que não fazemos preconceitos quanto a raça, religião ou classe social e que somos um povo com liberdade de expressão, hoje em dia vemos que nossa realidade está revestida por esse marketing não programado, mas que gera lucro ao nosso turismo e que faz jus a nossa pátria quando dizem: "O brasileiro é o povo mais feliz do muno".

    Nosso problema é que através de tradições, crenças ou educação, nos acomodamos com o fato de não expressar publicamente nosso pensamento talvez meio racista mas totalmente preconceituoso, fazendo com que ocultemos a desigualdade perante a diversidade.

    Aquele pensamento "Essa pessoa é negra, provavelmente é pobre e pode ser perigosa" ou "Ah o que eles querem no nosso meio, eles são índios...". Quem nunca pensou dessa forma? Fazemos isso diariamente em qualquer lugar. Então vamos lá, vamos abolir esse pensamento, pois somos um povo, uma cultura e devemos ser um só perante a sociedade.

    Nurya Katherine de Andrade n°33.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nurya seu texto é assustadoramente bom, parabéns pra vc menina

      Excluir
  20. O Brasil tem sua cultura diversificada e uma da sua principal fonte de cultura teve inicio na colonização do país, e também no povoamento de índios, partindo daí uma cultura chamada de cultura indígena. A cultura indígena, sofreu e sofre muitos preconceitos, até hoje pessoas vêem índios como o ser relaxado. A cultura varia de uma região pra outra e cada uma tem um o seu próprio jeito de ser. As desigualdades são grandes e atingem a todos independente de governo, religião, etnias...

    Gabriel Balardin n° 08

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Gabriel tem q trabalhar mais a questão, o texto ta muito superficial. Começe emitindo um ponto de vista sobre a democracia racial e depois trabalhe um pouco a desigualdade, acho que ajuda.

      Excluir
    2. concordo com o texto quando ele diz que o nosso pais foi uma mistura de raças, e justo essa mistura de raças fez com que a democracia racial seje bem diversificada em nosso pais, pois alguns têm uma opiniao mais radical e outros nao, muitas pessoas acabam emitido sua opiniao sobre, mesmo que sejam racistas...

      a desigualde no brasil vem alcançando um patamar mais elevado a cada dia, que mesmo os alvos de descriminação se descriminam, nao generalizando mas nosso pais infelizmente tem negros que nao se dizem negros, ou indios que nao se assumem em seu modo de ser...
      outro ponto de desigualdade aqui citado mas muito bom de frizar sao as cotas para faculdades, nao só negros, mas tambem mestiços, sao desiguais perante a sociedade, isso diz nossas proprias leis que garantem cotas em todas faculdades, nao só cotas mas muito mais.

      Excluir
  21. O Brasil tem tres principais raças(índios, europeus e africanos). Devido a essa diversidade de raças, essas principais raças e outras existentes no nosso pais, começaram a sofrer preconceitos, independentemente pela raça,religião, governo, ...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Vitoria vou falar pra vc o mesmo que disse pro gabriel "Gabriel tem q trabalhar mais a questão, o texto ta muito superficial. Começe emitindo um ponto de vista sobre a democracia racial e depois trabalhe um pouco a desigualdade, acho que ajuda." Não esqueça que isso vale dois pontos

      Excluir
  22. O Brasil sempre foi e sempre será caracterizado, em sua face, como o país da "mistura", ou seja, a miscigenação. Claro que, há muitas discussões em cima deste assunto, já que desde sempre, os europeus, se acharam melhores do que todos os grupos e etnias. Porém, com a colonização brasileira, a vivência entre as diferentes raças foi obrigatória, surgindo daí todas as diferenciações entre eles no Brasil, mas, logo que as raças começaram a se fundir, isto foi mudando; originando uma nova cultura, ou seja, tornaram-se um grupo, caracterizados por seus costumes, crenças, hábitos, entre outras coisas, como o prato típico desta região.
    Concordo. Também acredito neste preconceito disfarçado, mascarado; ainda podemos perceber, que o Brasil, apesar de não ser considerado um país racista, ainda traz a ideia de diferença de raças e classes sociais em seu meio. Podemos analisar até mesmo, que, por influencia do fato de terem sido escravos quando chegaram no Brasil, muitas vezes, qualquer pessoa, simplesmente por ser de raça negra, é logo visto como de uma classe social menos priorizada, de menos posse.
    Podemos ver então, as desigualdades sociais presentes nas cidades, quando percebemos a presença de uma favela, logo na mesma região de um bairro nobre. Também em locais como shoppings com lojas muito caras, onde a maioria da população brasileira, não tem menor acesso.

    Gabriela Gebhardt Matos. n°11

    ResponderExcluir
  23. A miscigenação uniu essas três culturas diferentes, e no Brasil vemos com clareza essa diversidade de culturas sendo elas brancos, negros, indios, etc. Com essa mistura de raças, religiões e pensamentos diferentes, formamos o Brasil, um país que nenhuma cultura pode ser comparada a outra, mas mesmo assim devemos superar essas diferenças. A miscigenação acabou diminuindo o preconceito mas eu acredito que isso nunca vai deixar de existir pois são muitos pensamentos diferentes que geram conflitos frequentes.

    Lucas Magalhães nº 40

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Só esqueceu de emitir sua opinião sobre a Democracia Racial.

      Excluir
  24. Na história do Brasil, a ocorrência da mestiçagem é bastante pronunciada, oque ocorre um pouco de preconceito em pessoas desinformadas, nao so com mestiços, mas também com negros, indíos.. negros eram os mais afetados, pois eram escravos e sofriam muito, para a igreja os negros nao podiam ser catequizados pois pra ela, eles nao tinha alma. O conhecimento no Brasil, é muito fechado para esse tipo de coisas, muitos dizem que o racismo acabou, pode ate ter diminuido, mas acabado... não.
    Em relaçao ao Gilberto Freire, eu concordo em partes, a escravidão causou grande abalo social, onde os negros nao tinham as mesmas oportuinidades.. igual a hoje, porque negros e indios precisam ter cotas em faculdade? eles sao menos capazes que os brancos? Agora, procurei me informar um pouco mais sobre Gilberto, e li uma coisa o seguinte trecho :
    "É muito difícil você encontrar no Brasil [negros] que tenham atingido [uma situação igual à dos brancos em certos aspectos...]. Por quê? Porque o erro é de base. Porque depois que o Brasil fez seu festivo e retórico 13 de maio, quem cuidou da educação do negro? Quem cuidou de integrar esse negro liberto à sociedade brasileira? A Igreja? Era inteiramente ausente. A República? Nada. A nova expressão de poder econômico do Brasil, que sucedia ao poder patriarcal agrário, e que era a urbana industrial? De modo algum. De forma que nós estamos hoje, com descendentes de negros marginalizados, por nós próprios. Marginalizados na sua condição social. [...]. Não há pura democracia no Brasil, nem racial, nem social, nem política, mas, repito, aqui existe muito mais aproximação a uma democracia racial do que em qualquer outra parte do mundo”.
    Nem todos os negros sao marginalizados ou pobre, no Brasil, existe uma concepçao para negro e para pobre muito pequena.

    Heloisa, nº:15

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mto bom Heloisa, desenvolveu bem o debate, mas vc não acha que o texto que vc citou acaba legitimando a politica de cotas?

      Excluir
    2. Por isso professor eu disse que concordo em partes.. essa concepcçao de negro marginalizado e negro pobre é de Gilberto freire, nao se encaixa totalmente noo Brasil, ou voce acha que negros e indios sao incapacitados e precisam de cotas? eu acho que nao pois, todos sao iguais e todos tem direito perante a lei.

      Excluir
  25. Podemos afirmar que a cultura brasileira é uma fusão entre os Europeus, Africanos e Indígenas, por isso ela é tão diversificada, tanto na culinária, religião costumes e etc...
    Isso faz do brasileiro um povo com tantas diferenças culturais e desigualdades sociais.
    Tais desigualdades existem numa linha histórica onde Europeus tinham o domínio sobre eles, já que os Indígenas e os Africanos ficaram por muito tempo sendo considerados seres inferiores dominados pela cultura Européia, tendo grandes consequências na história ate hoje, onde o preconceito existe de uma forma velada.
    O pior e o maior preconceito que vejo hoje é o preconceito social onde independente da raça ou os diversos grupos humanos são valorizados pela sua classe social independente de qual grupo ele pertença.

    Gabrielle Stefaniu Nascimento n13

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ton, eu nao tenho mais orkut ai coloquei pelo da minha mãe ok? mas coloquei meu nome e meu numero certinho, beijooos

      Excluir
    2. Só esqueceu de emitir sua opinião sobre a Democracia Racial.

      Excluir
  26. No Brasil não existe uma só cultura, mas sim uma miscigenação de culturas diferentes, já que desde a época do descobrimento ocorreu a “mistura” de raças.
    Essa miscigenação de raças acabou sendo mais por interesse do que por junção das culturas. Os europeus queriam apenas explorar a mão de obra indígena e dos negros e impor a sua cultura e sua fé. Mesmo assim, essas etnias contribuíram para a diversidade da cultura brasileira: na culinária, na religião, na língua, na dança, etc.
    Essas três raças acabou formando um povo diferente: o povo brasileiro, com sua própria cultura. Um povo que gosta de samba, carnaval, chimarrão, feijoada, moda de viola, etc.
    Mesmo acreditando que o Brasil pudesse viver em harmonia entre cores e raças, ainda convivemos com o preconceito constante e a discriminação entre brancos e negros, pobres e ricos. Assim, o Brasil é um país, da diversidade de culturas e também das desigualdades sociais.
    No dia a dia nos deparamos com as desigualdades sociais: Se observarmos as filas nos hospitais veremos as pessoas mais pobres tendo um mau atendimento enquanto os ricos podem pagar um plano de saúde.

    Matheus Rogatte, N° 29

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Só esqueceu de emitir sua opinião sobre a Democracia Racial.

      Excluir
  27. Creio que todos os países, em seu principio, teve sua cultura influenciada por alguma outra, e assim como todos, o brasil tomou algumas caracteristicas muito marcantes de paises situados na europa e africa, assim citados no texto.
    Essa miscigenação provavelmente durou um bom tempo mas o mesmo trouxe para o pais a nossa cultura, hoje podemos dizer que temos a nossa cultura, mesmo sendo ela a mistura de outras, alias, ela se tornou uma só. O único problema é que em meio a cultura tem-se os costumes de raças ou etnias...e alguma delas não aceitam as outras, trazendo um grande pré conceito...
    Quanto á teoria de gilberto freyre, eu concordo, pois ele dizia que a democracia racial era dada pela habilidade ímpar do brasileiro de conviver com diferentes grupos... e não a apoiava pois o seu livro Casa-Grande & Senzala diz que ele valorizou a cultura brasileira por seu caráter sincrético e criticou os preconceitos sobre a inferioridade dos negros, índios e mestiços e a visão pessimista do país adotada pelas elites e pelos intelectuais, e apoiava manifestações, o que é muito bom.. mostrava ser desprovida de fundamento a afirmação da superioridade ou da inferioridade de uma raça sobre a outra, além disso ele acreditava na exitencia de uma hierarquia entre as diversas formas de cultura, o que eu tambem acho.
    VICTOR HUGO Nº 36

    ResponderExcluir
  28. A mistura de povos negros, índios e europeus, que ocorreu com a colonização do Brasil, fez deste uma nação miscigenada que aparentemente sugere uma sociedade democrática com respeito, harmonia e liberdade. Concordo com Gilberto Freire, pois o que se percebe na realidade, que mesmo com um grande avanço nos debates, nas leis e nas diversidades culturais , o Brasil ainda levará tempo para se livrar de muitos conceitos e preconceitos que ainda tem limitado avanços de uma sociedade que mantêm algumas desigualdades sociais, com relação aos índios e negros, advindo da colonização de exploração sofrida pelos mesmos.
    ' Natiely nº 32

    ResponderExcluir
  29. Bom , podemos afirmar que o Brasil um país marcado por hábitos e costumes dos europeus, dos índios e dos negros, logo, em um certo ponto na historia, quando tais culturas colidiram-se surgiu uma cultura com raízes nestas três outras culturas em questão: a cultura brasileira, contendo um pouquinho de cada uma das 3 raças. A cultura brasileira, sendo assim, deve partir de cada cidadão respeitar cada raça assim como os negros, os brancos, os indios, amarelos, seria uma solução para acabar com o racismo,discriminação,violência e todos problemas que a diferente cultura causa. Sobre a teoria de Gilberto Freire, eu concordo , mas ao mesmo tempo, discordo. Por um lado acredito que de fato, a democracia racial no Brasil é muito mais harmônica do que em países mais conservadores no sentido étnico, como os Estados Unidos. Comparado aos Estados Unidos e aos países eurpeus, o racismo e o preconceito , em geral , são em menor quantidade , pelo motivo de o Brasil ter essa miscigenação. Sobre a desigualdade social, é um fenômeno que ocorre principalmente em países não desenvolvidos , como o Brasil . Neste , enquanto muitos tem pouco , pouco tem muitos! Entao acaba nessa desigualdade social, como está hoje em dia!

    * Maria Clara nº 25

    ResponderExcluir
  30. A miscigenação ocorreu com a mistura dos três povos, índios, europeus e africanos, e ao longo da história surgiu o povo brasileiro. Este povo carrega em sua formação traços da cultura de cada um. Isso resulta na diversidade cultural brasileira. Não concordo quando Gilberto Freire sugere que exista democracia racial, pois os negros e os índios ainda, nos dias de hoje, sofrem preconceito, como ocorreu em todo o período da história brasileira. Pensando nesta situação, entendo que a desigualdade social é o resultado de todas as formas de exclusão que determinados grupos, no caso os negros e índios,sofreram por parte dos europeus. Não existe,portanto harmonia entre povos diferentes.Existe na verdade um preconceito e discriminação velada que esconde a realidade.

    Heloisa Toledo nº14

    ResponderExcluir
  31. O Brasil é um país resultante da mistura de três raças e culturas diferentes, a mistura de negros europeus e índios resultou em uma culturas e hábitos que se baseam dessas três origens.
    A democracia racial de Gilberto Freire,no Brasil é em uma proporção bem menor os incidentes de racismo do que em países como os Estados Unidos devido a pouca existência de grupos separados como completamente negros negros ou completamente brancos,é uma mistura resultante da união dessas duas raças que compõe a maioria de nossa população.
    As desigualdades socias não dependem do governo ou da raça,pois são feitas pela própria sociedade que muitas vezes aceita as condições de estar acima ou abaixo das outras pessoas e terem assim uma vida mais confortável ou pior devido a forma como a própria sociedade se formou.

    Thiago Sipriano Marconi Bettini nº35

    ResponderExcluir
  32. A diversidade das culturas é o que torna o brasil diferente de todos os outros países, porém, essa diversidade não é um ponto positivo. Nossa sociedade sempre teve um comportamento muito preconceituoso e nunca vai deixar de ter pois esses são passados para novas gerações por meio das tradições - e não apenas o nosso país que possuiu tal comportamento. Mas o brasil não possiu um preconceito aparente, como o autor diz, mas sim um comportamento mais discreto, onde as pessoas e certos grupos preferem não se misturar. Apesar desse assunto estar sempre sendo discutido, nada conseguirá mudar as opiniões da socidade, pois pedem para que temos que respeitar e aceitar, porque todos somos iguais. Mas se somos iguais mesmo, por que ainda existe as cotas? Por que negros são considerados pessoas de mau caráter? E como a Gabriela disse, por que que um índio ao cometer um crime não é condenado e nós sim? Tudo isso gera conflitos e desigualdades sociais que nunca acabarão.

    ResponderExcluir
  33. A miscigenação é a mistura entre pessoas ou grupos de raças diferentes, também chamada de mestiçagem. O processo se encontra em toda historia da humanidade, podendo dizer-se que a evolução do homem, dos tempos mais antigos aos nosso dias, eh caracterizada justamente por ele. Hoje em dia, nenhum grupo humano que se possa considerar puro. As populações atuais resultaram de um processo de mestiçagem que se desenvolveu através dos tempos, por vezes mais, outras vezes menos intensamente.
    A cultura brasileira de modo geral, acumula em si um pouco das tradiçoes de cada uma das tres raças, apesar disso, os indios nao aceitam as reverencias dos brancos, negros nao aceitam comer as comidas tipicas dos amarelos, os brancos mais religiosos nao aceitam a carencia dos índios.
    O preconceito fica mais evidente quando o brasileiro identifica o negro com o papel social. ainda que todos os seres humanos pertencerem a mesma especie, as raças discrimina uma das outras por caracteristicas como cor do cabelo, cor da pele, cor dos olhos, o tamanho de partes do corpo e orgaos faciais. as diferenças entre os povos sao superficiais e que a humanidade tem mais caracteristicas e, comum do que diferentes, a propria humanidade continua a ver os outros de acordo com caracteristicas que sao percebidas aparentemente. o preconceito leva a discriminaçao, a violencia, uma vez que se baseia sem precedentes nas aparências.
    Existe preconceito entre raças, seja pela cor da pele ou pelo formado do rosto, pequenas caracteristicas mas que levam a discriminaçao e em alguns casos ate violencia.

    Alyna Mayumi Michelato Ougo n°01

    ResponderExcluir
  34. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  35. Ton, ton. Dificil ein. Kk finalmente to com net, entao vou postar. 

    A mistura das raças nao se baseia ,em nosso pais, em somente 3, talvez no passado sim, mas hoje em dia no Brasil existem várias etnias, assim como em alguns lugares voce pode ouvir varios outros idiomas, sem ser o portugues, dentro do brasil mesmo. Tem turistas que vem pra passear e acabam ficando, tornando o nosso pais um pais que "tem o mundo dentro dele" devido a diversificação de raças, religiões e costumes que podemos aqui encontrar, oriundos de varias partes, para ajudar a algumas decadas atras no crescimento e desenvolvimento do Brasil. 

    As desigualdades sociais em parte tem a ver com a precária educação, que vem melhorando aos poucos, mas ainda nao acompanha o crescimento acelerado de outras areas de nosso país. Tambem tem relação com a má distribuição de renda e com a corrupção que ainda afeta nosso país, a grande chaga nacional. O Brasil sempre foi um pais de desigualdades, desde de nosso descobrimento, em que os portugueses acharam que eram superiores aos indios, que até hoje por algumas pessoas é considerado um povo ainda inferior, assim como os negros e alguns asiaticos. 

    O Brasil, nosso país de vastas florestas, passaros, animais e pessoas. Podemos ver que como podemos ser considerados desenvolvidos por São Paulo e pelo nosso Sul maravilha, pode ser tambem considerados subdesenvolvidos pelos sertões nordestinos, onde a condição de vida as vezes é precaria. 

    Nós, brasileiros, devemos ver essa diferença como uma dadiva, mesmo que haja o preconceito, nao temos guerra de raças, nem tampouco falta de pastos para carne nem para agricultura, nosso pais é um pais farto, que apesar da dificuldade a gente tenta, a gente pode erra, mas depois a gente tenta de novo, e de novo, e a gente consegue, com nosso jeitinho brasileiro, o jeito simpatico conhecido pelo mundo todo, a gente sempre consegue. Não devemos reclamar de nosso país, ele tem lindas praias, assim como matas imensas e quase um semi-deserto; temos tambem o lindo pantanal, que só nós, brasileiros, o temos. 

    Ao resumo disso, podemos concluir que o brasil é um pais de grande diverdade cultural, e de diferente desenvolvimento de outros paises, assim concluimos que somos unicos, simpaticos, e belos. (:

    ResponderExcluir
  36. O Brasil é um dos países onde mais podemos destacar a ideia de miscigenação, não só pela raça, ou seja, a cor da pele, mas por toda sua história. Índios e negros abitavam o Brasil antes da chegada dos portugueses, e é aí que entra a questão da desigualdade, pois como os portugueses eram de uma classe digamos ''mais rica'' que os índios, acabou colonizando o Brasil. Desde então, essa questão vem sendo debatida. Na minha opinião, os verdadeiros descobridores do Brasil foram eles, índios e negros, que desde então, foram obrigados a entregar suas terras para os portugueses, gerando assim, a mistura entre as raças, que faz desse país um dos mais ricos em diversidades.
    No começo da colonização, houve mais desigualdades raciais, como foi dito acima, citando o fato de que os portugueses escravizaram índios e negros. Hoje, ainda existem casos de preconceito no Brasil, e sempre vai existir, não só no Brasil, como em qualquer outro país, porque não existe um lugar onde a questão racismo é totalmente excluída, pois não há lugar onde todo cidadão é igual perante a lei em direitos e deveres. O preconceito racial, também afeta a economia da sociedade, gerando outra desigualdade. Pessoas descriminadas por sua cor, geralmente são ridicularizadas e acabam tendo dificuldade em ter as mesmas oportunidades que as outras. Não é pelo fato de ser brasileira, que vou deixar de apontar que o Brasil tem sim, apesar de suas leis, casos como esses. Mas é claro, que pelo fato de ser um país com várias etnias, deixa esse seu lado racista para os ignorantes, e mostra para todos, com muito orgulho, a verdadeira raça Brasileira.

    - Isabella Mendes Melchior N°16

    ResponderExcluir
  37. A colonização nos trouxe vantagens e desvantagens. Vantagens pois nos trouxe a miscigenação, ou seja, a mistura de culturas(europeus,negros e índios), onde o Brasil com o tempo foi criando sua cultura. Como desvantagem nos trouxe a discriminação de cultura, pois nem todos respeitam a cultura do outro,não entendem o valor de cada uma, a discriminação racial por dividirem essa miscigenação por "raça": negra, branca ou amarela,e a discriminação de classes sociais onde o negro sempre vai ser o pobre,trabalhador que necessita para sua sobrevivência,e o branco sempre o patrão,o que manda para ter cada vez mais posse de tudo.E é assim então começa a desigualdade. E em relação a teoria de Gilberto Freire, o Brasil não aceitou completamente toda essa mistura de cultura,e ainda existe o preconceito.Traria muito mais vantagens se todos tivessem respeito por cada cultura e não ficasse desvalorizando as pessoas por conta de sua cor,cultura ou classe social.


    Lucas Vinicius de Oliveira- 2ºA Nº24.

    ResponderExcluir
  38. O Brasil e composto por por várias raças (brancos,negros e índios) e em cada uma delas existiam culturas diferentes na época da colonização,e o Brasil é o resultado dessa "mistura" que vem ocorrendo desde então.
    Em relação a teoria de Gilberto Freire,o Brasil nunca irá aceitar completamente a miscigenação, pois sempre haverá preconceito, mas ainda existem muitas pessoas de diferentes raças convivendo em harmonia, e outras impedindo o avanço do nosso país.

    Caio Lopes Lievore nº06

    ResponderExcluir